Como funciona o metrô no Japão?

Tempo de leitura: 3 minutos

Pode parecer conversa de louco, mas o metrô no Japão é, sem dúvidas, uma atração turística que merece a sua visita. E se você for para lá, inevitavelmente irá conhecê-lo, já que estamos falando da 5ª maior linha metroviária do mundo, com pouco mais de 300 km de área coberta, além de uma impressionante malha ferroviária cortando o país de norte a sul!

Quer saber algumas curiosidades sobre o meio de transporte que serviu de modelo e inspiração para outros países ao redor do mundo? Então confira tudo a respeito neste post!

O mesmo transporte, mas muita coisa diferente

Metrôs e trens não são novidades aos ouvidos brasileiros, mas a comparação com o Japão nem cabe aos transportes públicos que estamos acostumados no Brasil, tamanha é a diferença entre eles.

A começar pelos diferentes tipos de bilhetes comercializados nas 224 estações de metrô no Japão. Veja só:

  • bilhetes regulares: os valores são calculados a partir da distância que o usuário irá percorrer;
  • bilhete de 1 dia: confere viagens ilimitadas na malha metroviária por um dia;
  • bilhete combinado: válido em todas as linhas de metrô para um dia inteiro;
  • bilhetes para estudantes: com diferentes vantagens para os usuários, de acordo com o trajeto que fazem;
  • Pasmo Card: cartão pré-pago aceito em diversos transportes públicos da capital japonesa, com validade de 10 anos;
  • Suica card: outro tipo de cartão pré-pago, também aceito em ônibus.

Tudo isso, além das linhas e siglas das estações, pode ser confuso, a princípio. Mas, na verdade, é tudo muito intuitivo. Inclusive, é possível contar com a ajuda de aplicativos para os sistemas Android e iOS para se situar e não viajar equivocadamente para longe do seu destino.

Sem mistérios: as estações de metrô no Japão

Um dos motivos para tanta variedade de bilhetes é que, em uma estação, podem passar até três linhas diferentes. Cabe, então, ao usuário decidir em qual ele pretende embarcar — há, por exemplo, linhas que param em um menor número de estações até chegarem ao destino.

Mas como entender para onde ir, qual linha seguir, e em qual metrô embarcar? Simples: o metrô no Japão conta com uma nomenclatura fácil de assimilar, tanto para residentes quanto para os milhões de turistas que desembarcam na ilha nipônica anualmente:

  • a letra consiste no nome dado à linha;
  • cada número é utilizado para identificar cada estação;
  • número e letra de identificação são circulados por uma linha colorida, e cada uma delas correspondente a uma linha.

Viu como existe uma preocupação para que todos possam compreender onde estão e para onde vão?

Curiosidades sobre o metrô no Japão

Entre as peculiaridades já ditas, temos ainda algumas curiosidades que merecem destaque neste artigo, que apenas reforçam a personalidade do transporte público japonês, seja o metrô ou os populares trens-bala. Vejamos algumas delas:

  • os trens da linha expressa contam com banheiros nos vagões;
  • telas informativas ficam acima das portas, expondo o trajeto da linha, tempo de viagem e até mesmo dados a respeito da estação seguinte;
  • algumas linhas contam com vagões exclusivos para mulheres nos horários de pico, para garantir-lhes mais segurança;
  • a velocidade média de um um trem-bala é de 300 km/h;
  • há rede wi-fi em mais da metade das estações de metrô no Japão;
  • todas as estações funcionam das 5h à 0h.

Com estas informações, deu para ter uma noção da amplitude das linhas metroviária e ferroviária japonesas, não é mesmo? Então, caso você esteja programando uma viagem para lá, ou conheça alguém com passagens compradas, aproveite para compartilhar este post em suas redes sociais — e marque seus amigos!